Lei obriga a instalação da caixa de gordura

Lei obriga a instalação da caixa de gordura

Equipamento, que funciona como um filtro, é essencial e deve estar adequado ao tamanho e tipo de imóvel

Em Curitiba, todo mês são registrados, em média, 1.730 casos de rede de esgoto obstruída por gordura. Para cada situação, uma equipe de manutenção precisa interromper seus serviços e deslocar-se até o local para fazer a limpeza e desentupir a rede. A gordura vai parar na rede de esgoto porque ainda há imóveis onde a caixa de gordura não foi instalada, embora seja de uso obrigatório. A função da caixa é reter este tipo de material, que, periodicamente, deve ser retirado da caixa e jogado no lixo comum.

A caixa de gordura - que deve ser instalada na saída da água utilizada na pia e na máquina de lavar louças e antes de chegar à rede pública de esgoto - é um pequeno tanque que retém a gordura lançada na pia ou presente na louça e panelas das casas e restaurantes. Quando esfria, a gordura se transforma em blocos sólidos que se fixam nas paredes das tubulações, reduzindo o espaço para a passagem do esgoto, e, por conseqüência, provocando entupimentos e transbordamentos. Se a rede coletora de estiver entupida, há risco de o esgoto retornar para dentro do imóvel.

“Retirar a gordura nas tubulações do sistema é muito mais difícil e mais caro do que a limpeza periódica que deve ser providenciada pelos responsáveis pelas residências e restaurantes”, diz Ernani Ramme, da Unidade de Esgoto de Curitiba. Na cidade, uma lei municipal obriga a instalação da caixa de gordura (Lei 13.634/2010).